24 de dez de 2010

O bercinho de Jesus


Não, ele não teve berço de ouro, nem sequer teve um berço realmente.

Foi colocado num berço adaptado, a manjedoura. Adaptado, porque seu uso inicial era bem diferente, o lugar onde a comida dos animais era colocada, e se tornou o local onde o Melhor Presente repousou.

Pensando nisso, há alguns pensamentos sobre Jesus, o Filho de Deus, Messias esperado, colhidos ao longo de vários anos:

- O melhor presente não teve a melhor embalagem. Qual embalagem você anda buscando? E a essência?

- O melhor presente estava junto das coisas mais simples da vida. Para que tantas coisas acumuladas, luxuosas. Para que tanta complicação e tanto correr atrás do vento?

- O melhor presente se fez presente em humildade e fragilidade. Orgulho é muito diferente disso tudo. Como está seu coração?

- O melhor presente se tornou homem para que pudessemos ser feitos filhos de Deus. Como tem sido seu comportamento de filho de Deus: ausente, presente, próximo, distante?

E a pergunta final é: Você realmente entendeu qual é o melhor presente?

Que o amor de Emanuel, o Deus conosco, o Deus presente, esteja com você e sua família!

6 de dez de 2010

Canseira!



Uma vez, conversando com um pastor, ele me disse para desistir do "ministério" porque eu comentei que me cansava ao lidar com pessoas. Meu cansaço era referente a minha profissão, pois meu contato com outras pessoas é constante.

Não tive tempo para refletir no diálogo. Mas hoje, do nada, me lembrei e pensando sobre a conversa, vejo que os pontos de vistas eram diferentes e as atuações muito diferentes também.

Ouvi o Pr. Jeremias, da 8ª Presbiteriana de BH, sábado passado no Missão na Íntegra. (http://www.irmaos.com/missaonaintegra/ ) Ele contava como decidia as coisas na igreja, levando em consideração se algo feriria uma ovelha ou não. Ouvi ele falando que acordou por um tempo 4:30h da manhã de segunda-feira para visitar uma pessoa que não estava frequentando os cultos. Em nenhum momento, pisou em suas ovelhas, mas se referiu a elas como os maiores tesouros que ele possuía. Ele não negou o cansaço que isso gera. Aliás, mostrou-se completamente sincero nesse ponto.

É nesse tipo de relacionamento que acredito. No pastor sincero que é amigo, no pastor que cuida, no pastor que ama, e, não no que julga, no que expõe sua ovelha de maneira pública. Afinal não deveria ser a igreja o espaço da inclusão e do acolhimento da diversidade imperfeita amada por Deus? (joão 3:16).

Mesmo nesse tipo relacionamento, às vezes, cansa estar. Cansa trabalhar sem ver resultado aparente, devido nosso imediatismo. Cansa tomar cuidado com o outro e consigo. Cansa sofrer com o preconceito do qual você se torna participante ao escolher estar ao lado do oprimido e marginalizado.

Só lida com gente quem ama, mas quem lida com gente sofre. Afinal, o amor é sofredor, e, sofrer cansa!!! (menos é claro para os masoquistas de plantão! rs) Apesar de cansar, o amor verdadeiro não falha, não desiste, suporta esse sofrimento, esperando e crendo Naquele que nos fez capaz de amar, porque nos amou primeiro e sempre nos amará.

Sofrer por amor além de cansar, pode matar. Cristo amou e sofreu porque escolheu estar com os humanos para apregoar as boas novas, libertar cativos, curar doentes... escolheu deixar sua glória, escolheu estar limitado e carregar um corpo físico (que precisava comer, beber, dormir), escolheu ser pregado na cruz e morrer !

Tudo isso para que nós entendêssemos que somos amados por Deus, que O caminho de retorno ao Pai estava ali no madeiro, que A verdade fora revelada em amor e A vida abundante agora estava acessível a todo aquele que Nele crer.

Não posso fazer milagres como Ele fez... mas posso dispor do que Ele me deu para trabalhar: mãos, ouvidos, coração, mente...

Muita pretensão negar a possibilidade de alguém se engajar num trabalho pelo fato dessa pessoa sentir cansaço. Negar o cansaço é sinal ou de orgulho, ou de trabalho mal feito! Porque o nosso único Messias, Cristo Jesus, quando andou nesta Terra, precisou descansar... porque nós não precisaríamos? rs

28 de nov de 2010

Jesus ama as pessoas que você odeia


Em tempos de guerra no Rio... Em tempos de manifestações em relação a homossexualidade... Em tempos de discussão sobre quem tem razão... Em tempos de egoísmo... Em tempos de muita informação e pouco diálogo... Em tempos de falta de amor... Em tempos de falta de fé...

Vamos a DEUS que veio a nós em Cristo, e sigamos seu exemplo de amor, humildade, serviço e doação!


God Of The Moon And Stars (Kees Kraayenoord)

God of the moon and stars - Deus da lua e das estrelas
God of the gay – and singles bars - Deus do gay e dos bares para solteiros
God of the fragile hearts we are, I come to you - Deus dos corações frágeis que somos, eu venho a Ti
God of our history, god of the future that will be - Deus da nossa história, Deus do futuro que virá
What will you make of me, I come to you - O que farás de mim? Eu venho a Ti
God of the meek and mild - Deus dos mansos e moderados,
God of the reckless and the wild - Deus dos imprudentes e selvagens
God of the unreconciled, I come to you - Deus do irreconciliável, eu venho a Ti
God of our life and death - Deus de nossa vida e morte
God of our secrets unconfessed - Deus dos nossos segredos ocultos
God of our every breath, I come to you - Deus de cada respirar, eu venho a Ti
God of the rich and poor - Deus dos ricos e pobres
God of the princess and the whore - Deus da princesa e da prostituta
God of the ever open door, I come to you - Deus da porta sempre aberta, eu venho a Ti
God of the unborn child - Deus da criança não nascida
God of the pure and undefiled - Deus do puro e imaculado
God of the pimp and paedophile, I come to you - Deus do cafetão e do pedófilo, eu venho a Ti
God of the war and peace - Deus da guerra e da paz
God of the junkie and the priest - Deus do viciado e do sacerdote
God of the greatest and the least, I come to you - Deus dos maiores e menores, eu venho a Ti
God of the refugee - Deus do refugiado
God of the prisoner and the free - Deus do prisioneiro e do livre
God of our doubt and certainty, I come to you - Deus da nossa dúvida e certeza, eu venho a Ti
God of our joy and grieve - Deus da nossa alegria e do nosso luto
God of the lawyer and the thief - Deus do advogado e do ladrão
God of our faith and unbelief, I come to you - Deus da nossa fé e descrença, eu venho a Ti
God of the wounds we bear - Deus das feridas que levamos
God of the deepest dreams we share - Deus dos sonhos mais profundos que compartilhamos
God of our unspoken prayer, I come to you - Deus da nossa oração não dita, eu venho a Ti
God of a world that’s lost - Deus de um mundo perdido
God of the lonely cross - Deus da solitária cruz
God who has come to us, I come to you - Deus que veio a nós, eu venho a Ti

Última frase do vídeo: Remember, Jesus loves the people you hate Lembrem-
se: Jesus ama as pessoas que você odeia
Tradução: Roberto Amorim / Tati Catini

http://www.youtube.com/watch?v=_sD-uOmhlww

7 de set de 2010

Independência!

Independência de novo, mais um 07 de setembro. Este ano o céu não está azul como gosto, imperam as nuvens, cinza esbranquiçado é o tom. Depois de muitos dias secos, graças a Deus, chuva, ainda que no feriado. Daqui do quarto, observo pelo vidro da janela um clarinho lá fora, acho que são alguns raios rebeldes do sol se esticando por entre as nuvens. Quem sabe, de raio em raio ele não venha todo. Li na revista Isto É a definição de independência: “Estado de quem ou do que tem liberdade e autonomia".
Ontem véspera de feriado, no trabalho ambiente tranquilo, nada pra fazer de fato o que favoreceu o papo. Lá pelas tantas conversas, alguém conta uma experiência antiga profissional. Ouvi, me indignei inicialmente pelo quanto escravizamos nossa alma em nome do precisar sobreviver. Somos zumbis assim?! Apenas o corpo vive, o que tem dentro mortificamos? Lembro-me do livro Revolução dos Bichos : “Ainda que pareça que trabalhemos mais e comamos menos do que antes da revolução, pelo menos estamos lutando pelo que é nosso”. Se vai longe o “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e Sua Justiça e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.”
Alguém diria, indagaria talvez: “Mas não tem cada um a liberdade e a autonomia de não aceitar condições e trabalhos contrários ao que a alma sente, acredita? Ainda outros: “Ninguém é obrigado a permanecer onde está e concordar com as coisas.” Acho que isso pesa mais do que ter o país colonizador, o capataz ou quem mais seja a controlar as coisas abertamente. Agora, o problema é meio que velado, é de cada um, se você é dependente é por escolha própria, sois livres.
Entendem?! É saber que algo ou alguém nos escraviza, nos fere e na maioria das vezes o fisicamente não é o primeiro, nos fere lá dentro, aqui, porque não conseguimos , não queremos, ainda não sabemos fazer isso, proclamar a independência às margens da sociedade, de diversos sistemas, às margens de nós mesmos, ainda que as palavras de Cristo ecoem: "Vida em abundância". Vida inteira, vida, não sub, não sobre, não zumbi, vida. Mas aí outras se achegam e me confundem: “negue-se a si mesmo”. Me pergunto e a outros também, até que ponto?

8 de jun de 2010

O meu querer


Faz muito tempo que eu não coloco a função 'repeat' para funcionar. Essa canção merece ser ouvida e vivida com o coração de joelhos ... Esse também é o meu querer, ainda que no caminho eu faça o que não quero... E como faço!

Essa canção me fez lembrar das orações de alguém muito querido, que está com o Pai há 7 anos, alguém que sempre orou por minhas mãos, pedindo que onde elas tocassem fossem as mãos do Senhor tocando as pessoas... Tomara que um dia a oração do pai que tive na Terra seja ouvida pelo Deus Pai que tenho sempre comigo...




Letra e música do Paulo César Baruk



Cada vez que eu abrir a minha boca


Cada vez que eu olhar na direção de alguém


Cada vez que, passo a passo, eu chegar em algum lugar


Seja a Tua voz, sejam Teus olhos, sejam os Teus pés







Cada vez que eu tocar num rosto em pranto

Cada vez que eu fizer o que já não se faz

Cada vez que, em silêncio, eu doar a outra face

Sejam tuas mãos, seja tua graça e o teu amor


Eu quero te servir, eu quero te obedecer

Viver tua vontade, refletir tua verdade

Te honrar com minha vida, em tudo te adorar

Mestre, amigo, amado jesus

Esse é o meu querer


Cada vez que eu tocar num ombro amigo

Cada vez que eu fizer o que já não se faz

Cada vez que, em silêncio, eu doar a outra face

Serei tuas mãos, venha tua graça e o teu amor


[ Aproveitando: o lançamento do CD Multiforme do Baruk é nessa sexta. Maiores informações www.baruk.com.br/lancamento/ ]

"Que haja em vocês o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus"

24 de mai de 2010

Não sei....



Não sei... se a vida é curta ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais.
Mas que seja intensa, verdadeira, pura...
Enquanto durar.

Cora Coralina

18 de mai de 2010

TERMINAL DE ÔNIBUS

Terminal de ônibus numa dessas segundas-feiras, bancos cheios desse lado. Vou ao outro, me sento e logo vem um cachorro que estava latindo na porta do banheiro feminino e se deita bem sob o banco, ele começa a se mexer e me preocupo, e se me morde?

A senhora ao lado parece desistir de esperar, ajeita a bolsa no ombro, pega sua sacola, levanta-se e sai. Mudo pro lugar dela, minutos depois no lugar em que eu estava senta-se um homem. É alguém que sempre vejo pelas ruas. Não sei, mas ele lembra o Erasmo Carlos, o cabelo lembra. Senti o cheiro, aquele de suor com pinga, parecia haver formigas no banco, ele começou a se mexer e não se acomodava. Ora sua mão estava no banco dele, ora no meu, comecei a escrever pra disfarçar, com medo que num rompante ele se virasse e sei lá... Felizmente as formigas venceram, ele se levantou e saiu!! Enquanto isso o cachorro quieto embaixo parecia dormir.

E não muda, senta, levanta gente, senta...O cachorro dormindo, eu observando daqui, voltei a esse lado... Caneta e papel jogo na bolsa, me levanto, meu ônibus chegou.

4 de mai de 2010

Um grande irrigador


Dia desses aí, saindo do trabalho senti respingos d'água, não era uma chuva forte, apenas um chuvisqueiro, aqueles que o vento ajuda a espalhar e complica o uso de sombrinhas, por isso decidi ir assim, sem proteção, me senti um pouco incomodada, mas de repente imaginei que poderia haver um grande irrigador no céu. Sabe aqueles usados em grandes plantações, jardins que vão aspergindo água pra todos os lados?
Pensei que poderia ser Deus me irrigando e quem sabe em meu terreno não haja frutificação boa dessa vez, assim como acontece com as plantas, que precisam de água para irem vivendo como sentem em seus genes. Algo assim, um sentimento, instinto dado por Deus...

SENHORICE

Hoje pela manhã estava eu mais uma vez “livre”. Alguém atendia em minha sala de trabalho. Vi duas senhoras entrando pela porta da recepção, seriam encaminhadas ao centro cirúrgico. Me ofereci então pra levá-las, já que não estava fazendo nada e também porque muitas tarefas aguardavam, acho que quase gritavam pela recepcionista. Fomos nós, as duas senhorinhas e eu pelos corredores. A paciente estava um pouco ansiosa, sentimento normal para pré-procedimentos.
A senhorice delas me fez lembrar que mais de manhã ainda, no ônibus, vira outra senhora. Tinha dificuldade em se equilibrar e veio até o fundo se segurando, balbuciando sobre o perigo do piso molhado. Havia algo de difícil em sua pronúncia, com a articulação das palavras. Articulação, bem, isso soa um tanto médico demais, talvez seja a convivência. Pensei em usar dificuldade de expressão verbal, não sei. Porque ela conseguia fazer-se entender com as muitas expressões utilizadas, verbais, visuais, gestuais. Expressar é mais do que articular palavras. Lembro-me das expressões artísticas, tão ricas e diversas.
Mas voltando a senhora. Eu lia escritos rascunhados enquanto saculejava sentada no último banco, mas parei e fiquei observando, ansiosa, palavras querendo sair pra dizer que ela se sentasse no banco mais próximo com medo que se machucasse. (Lembrava um daqueles piões que indo pro fim do rodopiar não sabemos pra que lado cairão). Parecia mais com o movimento de animais saltando de galho em galho. Não sei, mas depois de tudo isso ela conseguiu sentar-se, olhou pra mim e pronunciou algo, tentei entender pra responder-lhe.
Pouco depois saltando pelos ferros veio um senhor, mais veloz. Humm, acho que ainda não veloz, mas, menos lento. Sentou-se ao lado dela. Não sei se eram assim, um casal de amor, mas eram casal homem e mulher.
Ah!! As senhoras do hospital. Então, tive a alegria de encontrá-las indo embora. Tudo correra bem durante o exame. Uma delas pegou minha mão e desejou que eu ficasse com Deus, correspondi e seguimos nossos caminhos. Não sei, mas algo mexeu aqui dentro. Gostamos de quem nos ouça, nos dê atenção e como andamos carentes disso nesses dias. Senhor, que eu pare mais pra ouvir. Ouvir as expressões, os olhares, os gestos, as pessoas, o Senhor, eu mesma.....

CARACÓIS TRANSGÊNICOS?

Já amanhecia, mais os vaga-lumes ainda brilhavam. Eu nunca os vira de fato, apesar de saber de sua existência. Pus-me a procurá-los e qual não fora minha surpresa ao não encontrar vaga-lumes, mas caracóis com luzes na ponta das antenas!?. Corri pra pegar minha máquina e fotografar aquilo, mais quando me aproximei mais o corpo deles parecia derreter. Acho que eram parentes de outros que vi em um episódio da Caverna do Dragão. De repente percebo um com os olhos fitos em mim, não demora ele começa a correr, sei lá, deslizar... deslizar.. atrás de mim, fugindo, acordo.
Ufa!! Que sonho estranho. Acho que preciso diminuir a leitura sobre transgênicos....

A DONA ARANHA DESCENDO PELA PAREDE

Vejo agora uma dona aranha e não subindo pela parede, mas descendo, parece estar com uma presa em suas quelíceras. Sumiu, já não posso vê-la, foi comer em paz e eu com esse pedaço de música na cabeça: “A dona aranha subiu pela parede....”
Quis procurar a letra, pois não me lembrava da continuação ou não sabia. Sei lá, é tanta coisa aqui dentro....mas essa eu não encontrei. (Li uma vez numa daquelas estórias de livros didáticos que tudo que perdemos vai pro Reino do Beleléu), talvez a continuação da música estivesse lá. Mas não fui até lá procurar, não tinha tempo, usei a internet.
Descobri que no final da música a dona aranha também desce pela parede, vem a chuva e a derruba. Acho que essa aranha aqui teve mais sorte, não estava chovendo e nem que estivesse, está bem abrigada atrás do velho computador aqui do canto.
Mas algo me inquietou nessa letra: a chuva derruba a dona aranha e depois ela teimosa motivada pelo sol continua a subir, tudo bem, quem cai pode subir de novo. (Quem, não é só pra pessoas? Seria o que cai então? Bom, mas se a chamam de dona, então deve ser quem mesmo). Já, se ela está descendo e é derrubada, como continua a descer quando surge o sol? Hum, acho que não foi derrubada direito ou se segurou lançando seus fios, é, como o Homem-Aranha pelos prédios. Embora eu nunca tenha visto uma delas fazer isso, lançar fios, sempre as teias já estão lá, prontas. (Acho que preciso observar mais...).
Assim, fui buscar o significado de derrubar, e dentre várias definições que encontrei, percebo que sim, a dona aranha pode continuar a descer mesmo depois de ser derrubada pela chuva, porque ser derrubado também é estar pendurado, estar um pouco mais abaixo, num ponto inferior. Mas quer saber, pensando um pouco mais, ainda que não fosse possível pelo significado das palavras, seria na imaginação, na poesia.
Então, continue teimosa a descer, não ligue pra minha ignorância diante das palavras e da arte, pra essa mania que por horas toma minha mente de querer entender o que é pra ser lúdico.

13 de abr de 2010

Minha 0,05 mm

Saquei minha 0,05 mm, mas apertando o gatilho
noto a ausência de munição.
Verifico o estojinho e, vazio?!!
Que decepção!!
Me surpreendo, como acabara cedo!
Lembro, a marca era ruim,

não agüentava o impacto do usado.
Corri à vizinha pra pedir algo emprestado.
Me veio com três armas velhas e pela metade,
ainda assim, agradeci da boa vontade.
A urgência não permitia frescura,
Tive que apontar. E, que melodia,
o lápis lá dentro ao girar, rangia.
Um som bonito, som de lá atrás, de escola,
de lata de lixo no canto da sala,

de ficar em pé perto da lousa
e de lá, disfarçadamente olhar a classe toda...rsrs.

6 de abr de 2010

Ouvi com os ouvidos que Cristo há de ressuscitar...


Parte I

Ouvindo um pastor pregar outro dia, ele falou o seguinte: "Não é pecado algum eu ir à loja mais cara da cidade e comprar uma roupa cara."

Isso me deixou pensativa... Eu sem conhecer os preços e a fama dessa loja, havia entrado um tempo atrás lá... procurando um vestido... o mais simples custava 300 reais...

Fiquei pensando quantos vestidos eu compraria em outra loja. E o quanto uma família que ganha um salário mínimo ficaria feliz com a renda extra de 300 reais.


Daí, eu fiquei pensando num trecho de um livro que li há algum tempo:

"Não há fórmulas para definir um 'nível de vida' apropriado para todos os cristãos, mas isto não nos exime de buscar honestamente uma coerência entre o uso que fazemos dos bens materiais que possuímos e os valores do reino de DEUS.

Há algo errado se aceitamos com naturalidade que, se ganhamos bem ou se recebemos uma boa herança, temos o direito de desfrutar dos luxos que a sociedade consumista nos oferece, sem nem sequer nos perguntarmos se tais luxos não devem ser renunciados a fim de liberar recursos para satisfazer as necessidades mais urgentes - não as nossas, mas de outras pessoas.

Nas palavras de João: 'ora aquele que possuir recursos deste mundo, e vir seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o coração, como pode permanecer nele o amor de Deus?' [.....] Em um contexto de graves necessidades físicas e materiais, um estilo de vida simples em favor do próximo é uma exigência de amor. [....]

Em todo nosso continente são numerosos os exemplos concretos do que igrejas e organizações evangélicas podem fazer e estão fazendo em resposta às necessidades humanas quando elas se abrem para a ação do Espírito de Deus, quando estão dispostas a sacrificarem-se pelos demais e dão espaço para a criatividade. [....]

Deus não nos chamou para estabelecer seu reino sobre a terra. Deus nos chamou para arrepender-nos de nossos pecados (incluindo a injustiça, o preconceito racial, o abuso de poder, a exploração irresponsável da natureza, o materialismo e o individualismo que caracterizam nossa sociedade) e para receber com alegria a boa nova do reino que chegou até nos na pessoa e no ministério de Jesus Cristo. " (René Padilla em O que é missão integral?, p. 82-84)


Será que temos vivido integralmente para Jesus Cristo? Ou apenas aos domingos? Na hora das compras, ELE que espere do lado de fora.... talvez pedindo uns trocados para comer....



17 de mar de 2010

Conversando com Érico e João



"O dia mais importante da minha vida foi aquele em que,
recordando todos os meus erros, achei que já chegara a hora
de procurar uma nova maneira de ser útil ao próximo,
de dar novo rumo às minhas relações humanas.

Que era que eu tinha feito senão satisfazer os meus desejos,
o meu egoísmo? Podia ser considerada uma criatura boa
apenas porque não matava, porque não roubava,
porque não agredia? A bondade não deve ser uma virtude passiva.

No dia em que eu achei Deus, encontrei a paz para mim
e ao mesmo tempo percebi que de certa maneira não
haveria paz para mim. Descobri que a paz interior só
se conquista com o sacrifício da paz exterior.

Era preciso fazer alguma coisa pelos outros.
O Mundo está cheio de sofrimento,de gritos de socorro.
Que tinha eu feito até então para diminuir esse sofrimento,
para atender a esses apelos?

Eu via em meu redor pessoas
aflitas que, para se salvarem,
esperavam apenas a mão
que as apoiasse, nada mais que isso.


E Deus dera-me duas mãos."

( Érico Veríssimo - Olhai os lírios do Campo )





" Amados, amemo-nos uns aos outros;
porque o amor é de Deus;
e qualquer que ama é nascido de Deus

e conhece a Deus.

Aquele que não ama não conhece a Deus;

porque Deus é amor.

Nisto se manifesta o amor de Deus

para conosco: que Deus enviou seu

Filho unigênito ao mundo,

para que por Ele vivamos.

Nisto está o amor,
não em que nós tenhamos amado a Deus,
mas em que Ele nos amou a nós,
e enviou seu Filho para propiciação
pelos nossos pecados.
Amados, se Deus assim nos amou,
também nós devemos amar uns aos outros.
Ninguém jamais viu a Deus;
se nos amamos uns aos outros,
Deus está em nós,
e em nós é perfeito o seu amor.
Nisto conhecemos que estamos Nele,
e Ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito.
E vimos, e testificamos que o Pai
enviou seu Filho para Salvador do mundo.
Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus,
Deus está nele, e ele em Deus.
E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem.
Deus é amor;
e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.
Nisto é perfeito o amor para conosco,
para que no dia do juízo tenhamos confiança;
porque, qual Ele é, somos nós também neste mundo.
No amor não há temor,
antes o perfeito amor lança fora o temor;
porque o temor tem consigo a pena,
e o que teme não é perfeito em amor.
Nós amamos a Ele porque Ele nos amou primeiro.
Se alguém diz: Eu amo a Deus,
e odeia a seu irmão, é mentiroso.
Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu,
como pode amar a Deus, a quem não viu?
E dele temos este mandamento:
que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.

( Apóstolo João – Primeira carta de João cap. 4 versículos de 7 a 21 )